Acupuntura como tratamento para a fibromialgia

Publicado por Carolina Thibes em

A fibromialgia é definida como uma síndrome que provoca dores intensas em várias partes do corpo, especialmente nos tendões, músculos e articulações, por longos períodos de tempo. Além da dor crônica, sintomas como cansaço durante o dia, insônia à noite, depressão, problemas cognitivos, alteração de memória e de humor podem ser notados nas pessoas acometidas pela fibromialgia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 8% da população adulta mundial sofre desta enfermidade, sendo o gênero feminino o mais afetado. A proporção é de nove mulheres para um homem com fibromialgia e é mais comum em indivíduos entre 45-64 anos, segundo artigo publicado no Scandinavian Journal of Rheumatology.

Foi somente no final da década de 1970 que a OMS reconheceu a fibromialgia como doença, talvez pela dificuldade em se fazer o seu diagnóstico. Muitas vezes confundida com o reumatismo, o diagnóstico de fibromialgia se dá através de anamnese e exame físico específico. Não existe um exame clínico que diagnostique a fibromialgia. Quando realizada a palpação, deve haver dor em pelo menos onze dos dezoito pontos dolorosos pesquisados. Esta dor músculo-esquelética deve ter persistido por mais de três meses ininterruptos. Para confirmar o diagnóstico é preciso descartar outras possíveis enfermidades. 

A medicina ocidental ainda não desenvolveu um método para curar a fibromialgia, mas com o tratamento adequado é possível controlar os sintomas. Normalmente, o tratamento consiste no uso de medicamentos antidepressivos, ansiolíticos, analgésicos e relaxantes musculares. Tratamentos não-medicamentosos incluem hábitos de vida saudáveis (como a prática de atividades físicas regulares, alimentação adequada, controle do peso), psicoterapia e a acupuntura. 

A acupuntura é um tratamento complementar e holístico, que tem mostrado resultados muito eficazes no tratamento da fibromialgia, em especial na redução imediata da dor. De origem oriental, a acupuntura aborda a doença seguindo os conceitos da medicina chinesa. Uma abordagem mais clássica da medicina chinesa interpretaria a fibromialgia e todas as mazelas que acometem o paciente que sofre desta doença como uma síndrome bi de obstrução dolorosa. O ideograma “bi” remete a algo que está fechado, que não está fluindo adequadamente. O livro do Imperador Amarelo (tratado da medicina chinesa escrito há mais de cinco mil anos) tem um capítulo que aborda especificamente a síndrome bi e a classifica de acordo com os órgãos, os tecidos e os fatores patogênicos. De acordo com os fatores patogênicos, a fibromialgia teria uma associação maior com o acúmulo de umidade porque o paciente geralmente relata sensação de peso, fadiga muscular, cansaço.

A umidade, na medicina chinesa, tem relação com o baço-pâncreas, então alguns dos pontos a serem tratados pela acupuntura no paciente com fibromialgia certamente seriam pontos do meridiano do baço-pâncreas. Toda a teoria da acupuntura está fundamentada no equilíbrio energético então obviamente além do meridiano do baço-pâncreas, outros meridianos também deverão ser tratados no paciente que sofre de fibromialgia. A saúde é o estado de equilíbrio e a doença é a ruptura desse equilíbrio. O acupunturista irá avaliar o paciente e combinar os pontos para aplicação das agulhas de forma a restabelecer o curso normal da circulação de energia, aliviando assim os sintomas e restaurando a saúde.

Categorias: Tratamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *